segunda-feira, 28 de maio de 2012

EMOÇÕES EM PRETO E BRANCO


Tenho medo do advento da noite
Do silêncio, das vozes e até da calma
Tenho medo das sombras, das aflições
E angústias que atormentam a alma

Oh! Noite, tão pesada e longa!
De hora que não quer passar
De mistérios sombrios e profundos
Ao pôr-do-sol quero me associar

Eu quero a companhia das flores
Ver as folhas sob a brisa dançar
Sentir o soprar de grandes ventos
E o chorar das fontes quero escutar

O amanhecer, de manso, se aproxima
E o clarão do dia, começa a chegar
Quero esquecer as sensações noturnas
E as noites negras quero olvidar.

 
.*.-.♥.-.*´¨`*.-.♥.-.*.¸¸.*.-.♥.-.*´¨`*.-.♥.-.*.¸
Ana Clara Cunha

2 comentários:

poeta josé valdir disse...

Muito linda!
parabéns, poeta Ana Clara.

Ana Clara Cunha disse...

Obrigada, poeta!